Robô em formato de cobra será usado para inspecionar usina nuclear de Fukushima

114

O robô será inspecionará os reatores danificados que vazaram grandes volumes de radiação e contaminaram toda a região, já que ninguém pode se expor a essa radiação.

Em 2011, a usina nuclear de Fukushima, no Japão, teve que ser desativada depois que um terremoto e um tsunami danificaram reatores e deixaram vazar volumes colossais de radiação que contaminaram toda a região. Entretanto, o estado das usinas, seis anos após o acidente, ainda precisa ser investigado.

É aí que entra uma nova sonda robótica em formato de cobra que a Toshiba anunciou nesta semana. Por conta dos altos níveis de radiação em torno da usina abandonada, este robô terá o trabalho de ir até lá para inspecionar as instalações, como explica a agência de notícias Associated Press.

O robô tem 12 metros de extensão e é, basicamente, um longo telescópio com uma câmera fixada na ponta. Ele será usado na Unidade 2 do complexo nuclear de Fukushima, onde a extensão dos vazamentos e dos danos causados pelo terremoto e tsunami de 2011 ainda não são conhecidos por completo.

O objetivo dos pesquisadores japoneses é agregar o maior volume possível de informações sobre o estado da usina de maneira segura. Assim, será possível identificar quais falhas na estrutura permitiram o vazamento de radiação e o que deve ser feito para impedir novos acidentes como o de 2011.

FONTES

000webhost logo