Coreia do Sul vai tributar transações de criptomoedas em 24%

202

De acordo com a linha política fiscal existente, serão taxadas todas as empresas que obtêm uma renda anual de maior que US$ 18,7 milhões.

Hoje (22), a agência de notícias sul-coreana, Yonhap, relatou que o governo anunciou que vai cobrar um imposto corporativo de 22% e um imposto de renda de 2,2% nos intercâmbios de criptografia do país.

O anúncio de impostos vem logo após a conclusão de uma pesquisa sem precedentes contra o branqueamento de capitais em seis grandes bancos sul-coreanos que mostraram aumento de 36 vezes em comissões de contas virtuais ligadas a trocas de criptomoedas, de 61 milhões de Wons sul-coreano (US$ 57.340) em 2016 para 2,2 bilhões de Wons (US$ 2 milhões) em 2017.

Yonhap relata que a sul-coreana Bithumb movimentou 317,6 bilhões de Wons (US$ 295,368,000) no ano passado, então espera-se que pague cerca de 60 milhões em impostos vencidos, de acordo com as porcentagens de impostos anunciadas na segunda-feira. Bithumb, que é a maior empresa de câmbio global, com US$ 2,85 bilhões no volume de negócios diários.

As percentagens de impostos anunciadas estão em conformidade com o código tributário sul-coreano para todas as empresas que obtêm uma renda anual de mais de 20 bilhões de Won (US$ 18,7 milhões).

O governo sul-coreano recentemente intensificou a aplicação da regulamentação deste mercado no país. Além de solicitar a sondagem financeira, o governo proibiu o uso de contas virtuais anônimas, congelou a abertura de novas contas virtuais e proibiu menores de idade e usuários estrangeiros de negociar em trocas.

O público sul-coreano lutou com uma petição para impedir os recentes regulamentos governamentais. Depois de chegar às 200 mil assinaturas necessárias, a petição está aguardando uma resposta oficial do governo.

FONTES

000webhost logo