Asteroide não foi detectado com antecedência porque estava contra a luz solar

169

Por mais que meteoritos como o que caiu na Rússia causem estragos, Nasa reforça que eles não são grandes o suficiente para colocar a Terra em risco. Agência identifica 95% dos grandes objetos que entram no Sistema Solar.


					Buraco aberto no gelo pela queda do meteorito na cidade de Chelyabinsk Urais, na Rússia
					
Buraco aberto no gelo pela queda do meteorito na cidade de Chelyabinsk Urais, na Rússia
Reuters

					Buraco aberto no gelo pela queda do meteorito na cidade de Tcheliabinsk, na Rússia
					
Buraco aberto no gelo pela queda do meteorito na cidade de Tcheliabinsk, na Rússia
Chelyabinsk Region Police/AFP

					Cinegrafista russo captura momento em que meteorito entra na atmosfera
					
Cinegrafista russo captura momento em que meteorito entra na atmosfera
Reprodução/YouTube

					Estragos causado pela queda de meteorito na Rússia
					
Estragos causado pela queda de meteorito na Rússia
Reuters

					Fábrica de zinco após ser atingida por meteorito na cidade de Chelyabinsk, Rússia
					
Fábrica de zinco após ser atingida por meteorito na cidade de Chelyabinsk, Rússia

					Fábrica de zinco após ser atingida por meteorito na cidade de Chelyabinsk, Rússia
					
Fábrica de zinco após ser atingida por meteorito na cidade de Chelyabinsk, Rússia
Yevgeni Yemeldinov/Reuters

					Homem conserta janela danificada pela queda de meteorito na Rússia
					
Homem conserta janela danificada pela queda de meteorito na Rússia
Andrei Kuzmin/Reuters

					Homem ferido por queda de meteorito em Tcheliabinsk, na Rússia
					
Homem ferido por queda de meteorito em Tcheliabinsk, na Rússia
Andrei Kuzmin(/Reuters

					Janela de ginásio de esportes danificada pela queda de meteorito em Tcheliabinsk, na Rússia
					
Janela de ginásio de esportes danificada pela queda de meteorito em Tcheliabinsk, na Rússia
Reuters

					Mais de 900 pessoas ficaram feridas, três delas com gravidade, depois que um meteorito caiu e se desintegrou sobre a região russa de Tcheliabinsk
					
Mais de 900 pessoas ficaram feridas, três delas com gravidade, depois que um meteorito caiu e se desintegrou sobre a região russa de Tcheliabinsk
Nasha Gazeta/AP

					Muro de uma fábrica danificado pela queda do meteorito na cidade de Tcheliabinsk, na Rússia
					
Muro de uma fábrica danificado pela queda do meteorito na cidade de Tcheliabinsk, na Rússia
Oleg Kargopolov/AFP

					Prédio danificado por queda de meteorito em Chelyabinsk, na Rússia
					
Prédio danificado por queda de meteorito em Chelyabinsk, na Rússia
Reuters

					Rastro deixado no céu pelo meteorito
					
Rastro deixado no céu pelo meteorito
Oleg Kargopolov/AFP

					Região atingida pela queda do meteorito na cidade de Tcheliabinsk, na Rússia
					
Região atingida pela queda do meteorito na cidade de Tcheliabinsk, na Rússia
Oleg Kargopolov/AFP

					Trabalhadores recolhem vidros quebrados pelo impacto da queda de meteorito
					
Trabalhadores recolhem vidros quebrados pelo impacto da queda de meteorito
Timothy A Clary/AFP

					Ilustração do asteroide 2012 DA14, que passa perto da Terra nesta sexta (15)
					
Ilustração do asteroide 2012 DA14, que passa perto da Terra nesta sexta (15)
Nasa/JPL-Caltech

O asteroide que atingiu a Rússia nesta sexta-feira não pôde ser detectado com antecedência pela Nasa, a agência espacial americana, devido ao tamanho e porque, ao se aproximar da Terra, estava contra a luz do Sol. Em conferência realizada no início da noite desta sexta-feira, os cientistas garantiram que não há possibilidade de que ele esteja relacionado ao asteroide 2012 DA14, que atingiu o ponto mais próximo da Terra também nesta sexta.

"Eventos como os de hoje acontecem a intervalos de centenas de anos. É uma coincidência incrível, mas não estão relacionados de maneira alguma", declarou Paul Chodas, cientista pesquisador da NASA. Segundo o cientista, os dois objetos vieram de direções opostas, o que impossibilita terem feito parte do mesmo asteroide.


					
				

Qual era o tamanho do meteorito?

Estima-se que o meteorito possuía 15 metros de diâmetro ao entrar na atmosfera da Terra (um terço do tamanho do asteroide DA14 que passou pela Terra nesta sexta-feira) e pesava cerca de 7.000 toneladas. Ele estaria se movendo a 18 quilômetros por segundo, o que equivale a 65.000 quilômetros por hora.

Qual foi a potência da explosão?

A explosão teria atingido uma força de 300 a 600 quilotons. A bomba nuclear que atingiu a cidade japonesa de Hiroshima, por exemplo, tinha potência de aproximadamente 16 quilotons.

Por que as agências espaciais conseguiram prever a chegada do asteroide 2012 DA14, mas não do meteorito russo?

O asteroide 2012 DA14, com 45 metros de diâmetro, é um dos menores objetos cósmicos que podem ser detectados por especialistas. Apesar de não ser impossível detectar um objeto de apenas 15 metros de diâmetro, é algo muito raro, especialmente se o ângulo em que ele se aproxima da Terra não for o ideal ê por exemplo, quando ele está contra o Sol. Em 2008, um objeto de cerca de 2 metros de diâmetro foi observado horas antes de atingir a Terra.

Por que o meteoro provocou uma luminosidade tão intensa?

O meteoro deixa atrás de si um rastro de ar ionizado, que provoca a luminosidade. De acordo com a NASA, o meteoro em questão foi mais brilhante do que o Sol. De forma geral, ele não causa danos Ós pessoas devido Ó mesma defesa natural que nos impede de olhar diretamente para o Sol.

Por que tantas pessoas ficaram feridas?

As pessoas foram feridas principalmente pelos estilhaços de vidro e outros detritos causados pela onda de choque da desintegração desse meteorito. Objetos celestes se deslocam pelo espaço a uma velocidade muito elevada e, ao encontrar a atmosfera terrestre, que é mais densa do que o espaço, ele é freado e a energia que produz se transforma em calor, o que faz com que ele queime. Quando a superfície do meteoro começa a se aquecer, o ar ao redor dele esquenta também. Por ser aquecido rapidamente, o ar expande de forma muito rápida, criando a chamada onda de choque, que é capaz de quebrar os vidros ao colidir com eles, devido Ó pressão que exerce.

Qual a probabilidade de um objeto do tamanho deste meteorito atingir a terra novamente?

Especialistas estimam que a queda de um meteorito ocorre anualmente, mas normalmente esse fenômeno passa despercebido porque costuma ocorrer no deserto ou outras áreas não povoadas. Para objetos de 15 metros, a estimativa é que eles atinjam a Terra em intervalos de 50 anos.

Para o cientista, por mais que asteroides como o que caiu na Rússia causem estragos, não são suficientemente grandes para colocar a Terra em risco. Atualmente, a Nasa consegue identificar 95% dos grandes objetos que entram no Sistema Solar. Nem todos estes objetos maiores estão a redor da Terra ou têm potencial para colidir com o planeta. "Identificar asteroides pequenos é um desafio, mas não é nosso objetivo atual", reforçou Chodas.

Segundo o chefe do escritório de assuntos relacionados a meteoritos da Nasa, Bill Cooke, todos os dias cerca de 80 toneladas de material espacial entram na atmosfera terrestre. "Objetos do tamanho de bolas de basquete entram em nossa superfície todos os dias, e do tamanho de carros, a cada um ou dois meses. Em geral, eles são destruídos na atmosfera, por isso não são um grande problema", garantiu.

FONTES

PALAVRAS-CHAVE

000webhost logo